9 8822 1405

Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações de Pernambuco

Quem somos / Nossa história

A história do Sinttel se confunde com a luta nacional, não só dos trabalhadores em telecomunicações, mas da classe trabalhadora em geral. Confunde-se também com as mudanças políticas do país.

 

Em 1983, plena ditadura militar - época em que os brasileiros estavam sedentos por democracia e pelo fim à submissão -, o sindicato sofreu uma grande mudança. A base elegeu uma nova diretoria, uma chapa que se identificava com os princípios da igualdade e da solidariedade. A direção que hoje está à frente da entidade é dissidente dessa chapa.

 

Em 1984, o Sinttel Pernambuco se une às demais organizações da sociedade civil no movimento Diretas Já. No ano seguinte, inicia a luta pela representação dos trabalhadores de empreiteiras. Em 1986, face à intransigência da Telebrás, participa da primeira paralisação da história da categoria, que coincide com a greve geral convocada pela CUT.

 

Em 1987 tem início a luta contra a privatização, com a greve dos trabalhadores da Embratel. O Sinttel esteve presente, desde a discussão da Constituição, em 1988, passando pela discussão da lei da TV a Cabo, em 1994.

 

Em 1999 - primeiro ano após a privatização da Telebrás -, 30% da categoria foi posta para o olho da rua, mas ações na Justiça reintegraram à Embratel e à Telpe, alguns trabalhadores portadores de estabilidade. Em 2011, aos poucos, os demais trabalhadores dessa época – também conhecidos como anistiados - estão retomando seus postos de trabalho, uma vitória para o Sinttel, mas principalmente para essas pessoas, que sempre acreditaram na Justiça e no sindicato.

 

O Sinttel está instalado na Rua Afonso Pena, no bairro da Boa Vista. A sede conta com o Espaço Gregório Bezerra, um auditório climatizado com capacidade para 200 pessoas sentadas, onde são realizadas assembleias, encontros, palestras e debates.

 

Nossa Diretoria